Bombas de Fragmentação geram discórdia entre aliados

9 de Julho, 2023 0 Por A Voz de Esmoriz

O envio de bombas de fragmentação, previsto no mais recente pacote de apoio dos Estados Unidos para a Ucrânia, está a gerar oposição de vários membros da NATO. Também as Nações Unidas já se pronunciaram contra o uso deste tipo de armamento. Apesar das bombas de fragmentação serem proibidas em cerca de 100 países e ainda tendo em conta o facto de já terem sido utilizadas na guerra entre a Ucrânia e a Rússia, vários líderes de países como o Reino Unido, Espanha, Canadá e até mesmo Portugal reiteraram ser contra o uso destas armas.

De acordo com os especialistas militares, estas bombas de fragmentação poderão ser úteis para a contra-ofensiva ucraniana que tem prosseguido de uma forma lenta e dura. As mesmas poderão inutilizar várias trincheiras do oponente, embora em contrapartida, possam contribuir para um terreno cada vez mais minado, visto que esta arma tem a particularidade de libertar inúmeras mini-bombas por uma área considerável.

O governo ucraniano compromete-se a não usar estas armas em áreas urbanas onde se verifiquem populações civis ou num ataque surpresa a território pertencente à Federação Russa.


Créditos da Imagem: D. R.