Guerra em Gaza já provocou mais de 17 mil mortos

10 de Dezembro, 2023 0 Por A Voz de Esmoriz

Após ter sido terminada a pausa humanitária que havia sido garantida como contrapartida simultânea pela libertação de alguns reféns israelitas que estavam nas mãos do Hamas, os combates voltaram a ser travados com grande intensidade na Faixa de Gaza. Os bombardeamentos israelitas aumentaram, e de acordo com os últimos dados, mais de 17 mil palestinianos terão já falecido na sequência da campanha militar de Tel Aviv.

O veto dos Estados Unidos da América na votação da resolução mais recente do Conselho de Segurança da ONU que pedia um cessar-fogo urgente em Gaza irá arrastar este conflito sangrento para os próximos tempos.

No terreno, os combates são sobretudo intensos em três frentes: na região de Khan Yunis (sul), em Jabaliya (norte) e na cidade de Gaza (norte). Os confrontos chegam a ser travados casa a casa. Neste momento, há também o registo de largas centenas de milicianos do Hamas que se terão rendido. O grupo islamita terá perdido grande parte da sua rede de comunicações. Todavia, o grupo islamita continua a disparar rockets contra Israel, apesar do seu impacto ser agora quase nulo. Pelo menos, 97 soldados israelitas terão já perdido as vidas nesta campanha.

Recorde-se que esta ofensiva israelita na Faixa de Gaza foi a resposta oficial de Tel Aviv a um ataque terrorista do Hamas, em que os seus milicianos conseguiram cruzar a fronteira a 7 de Outubro, matando cerca de 1200 pessoas no sul de Israel e sequestrando 240 pessoas, sendo que, destes, cerca de 137 ainda permanecem em cativeiro.

Não obstante, a campanha militar israelita tem sido criticada por grande parte da comunidade internacional que não se revê na desproporcionalidade da resposta bélica, lamentando a morte de muitas crianças e mulheres na Palestina.

Créditos da Imagem: Mohammed Abed / AFP via Getty Images