Jogador nº 12 foi determinante para o sucesso

1 de Maio, 2023 0 Por A Voz de Esmoriz

Se dentro das quatro linhas, podemos destacar o contributo interessante de atletas como Ruben Martins, Xavi, Gabi, Paulinho, André Mendes, Takeshi, Diogo Oliveira, Ruben Fonseca, Tiago Vieira e outros, a verdade é que hoje ninguém nega que o jogador nº 12 (tradicionalmente conotado com o apoio do público) foi fundamental nesta caminhada que não foi nada fácil.

Os adeptos, sócios e simpatizantes do Sporting Clube de Esmoriz andavam há cerca de um ano desolados com uma época que terminava da pior forma – a equipa caía na última posição para a I Divisão Distrital de Aveiro, após uma época em que seis treinadores não conseguiram inverter o rumo negativo. Eram derrotas sucessivas, e por vezes, goleadas. O clube corria mesmo o risco de fechar porque havia uma crise financeira muito grave.

Um ano, tudo mudou. A mística começou a ser devolvida ao Estádio da Barrinha, e a audiência aumentou ao longo da temporada, à medida que a equipa fazia acreditar que era possível lutar pelo objectivo da subida que inicialmente não estava delineado. As vitórias trazem essa magia da esperança. E a comunidade começou a seguir mais de perto e a acreditar!

Recordamos que no penúltimo jogo com o CD Arrifanense estiveram cerca de 500 adeptos a torcer no Estádio da Barrinha (com um recorde até no sorteio das rifas, além da receita de bilheteira) e, em Romariz, na última jornada, entre 200 a 300 adeptos fizeram com que não faltasse apoio incondicional na última partida.

Tirando o facto das autoridades não terem permitido gaitas ou cornetas na bancada em Romariz (o que causou alguma estranheza antes do início do jogo por parte da moldura humana), a verdade é que os adeptos souberam comportar-se com civismo, incentivando os jogadores com aplausos e cânticos de apoio. Na verdade, os dois golos apontados (Gabi e Ruben Martins) foram celebrados com muita euforia. E na altura, em que o Romariz poderia complicar a partida (com o golo de Roma), a verdade é que os adeptos estiveram sempre lá a apoiar a equipa, ora na bancada, ora junto aos extensos muros laterais do Campo do Valo, quase transformado num mini-estádio da Barrinha (sem desprimor para o Romariz que, apesar da despromoção, poderá voltar no futuro a esta prova e que também teve o apoio dos seus adeptos).

No final do jogo, os adeptos estiveram mais meia hora nas bancadas para saudar os jogadores pelo êxito da subida ao Campeonato SABSEG. E os atletas e técnicos honraram esse momento, aplaudindo igualmente os adeptos que se deslocaram até Romariz. Uma retribuição merecida!

A mística só é possível com o nº 12. Sem ele, qualquer equipa tem mais dificuldades em alcançar os seus objectivos, ou até mesmo, os seus sonhos. Neste ano, o sucesso do Sporting Clube de Esmoriz muito se deve também a ele.