Metas do processo de vacinação mantêm-se; Imunidade de Grupo poderá requerer mais tempo

18 de Março, 2021 0 Por A Voz de Esmoriz

A garantia foi dada pelo coordenador do Plano de Vacinação, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo que, em entrevista à Agência Lusa, admite que 70% da população terá tomado, pelo menos, a primeira dose contra a COVID-19 até ao final do Verão, embora a segunda toma venha a ser posterior. No seu entender, os conceitos de protecção e de imunidade de grupo são diferentes. A protecção será concretizada através da vacina, travando as evoluções mais gravosas do vírus, enquanto a imunidade de grupo deverá exigir mais algum tempo.

Gouveia e Melo defende a importação do maior número possível de vacinas, desde que aquelas sejam credíveis e atestadas pelos cientistas. E daí considerar como válida a possibilidade de se vir a adoptar igualmente a vacina russa Sputnik V.

De acordo com a Rádio Renascença, o actual portefólio de vacinas assegurado por Portugal inclui já as vacinas desenvolvidas por Pfizer/BioNtech, Moderna, AstraZeneca, Janssen (todas já autorizadas pelo regulador europeu para introdução no mercado), Sanofi/GSK e CureVac (ambas numa fase mais atrasada).

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo reconhece que esta é uma guerra que vai exigir a concentração de todos os meios possíveis de forma a fazer com que a sociedade ultrapasse a dura realidade provocada pela pandemia da COVID-19.

Créditos da Imagem: Mário Cruz (Agência LUSA)