Rússia admite entrar também na Moldávia

22 de Abril, 2022 0 Por A Voz de Esmoriz

O general russo Rustam Minnekayev admitiu publicamente que a Federação Russa poderá ter interesse em dominar as regiões do Donbass, e através do sul da Ucrânia ocupar um território que chegue até à Transnístria, região pró-russa que pertence à Moldávia e que tem tido representação autónoma em relação ao regime moldavo cuja capital se encontra em Chisinau. O general refere que essa região tem sido igualmente lesada e oprimida, tentando ensaiar uma argumentação similar que foi adoptada para justificar a invasão da Ucrânia.

A Moldávia conta, neste momento, com uma população que ronda entre os 3 e os 4 milhões de habitantes, sendo um país muito mais pequeno comparativamente com a Ucrânia. Muito recentemente, o país pediu a adesão oficial à União Europeia. Maia Sandu (na imagem) é Presidente da Moldávia e tem defendido a necessidade de viver num mundo de paz, democracia e liberdade, tendo aquele país já acolhido cerca de 400 mil refugiados ucranianos.

Caso se confirme a invasão russa a médio prazo da Moldávia (depois de cumpridos os objectivos do Kremlin no palco de guerra na Ucrânia), é possível que a escalada de tensão aumente em relação ao Ocidente.

Enquanto isso, na Ucrânia, perduram os combates e acumulam-se as suspeitas de crimes de guerra. Em Mariupol, terão sido enterrados quase 10 mil civis em valas comuns, e em Bucha (perto de Kiev), mais de 1000 cadáveres já terão sido retirados das valas comuns e edifícios. No terreno, os russos bloquearam a zona industrial de Mariupol onde se prefiguram ainda focos de resistência, controlando as restantes zonas da cidade destruída. No Donbass, os invasores conquistaram 60 aldeias, contudo é um avanço ainda pouco significativo, enquanto os bombardeamentos intensos prosseguem.

Créditos da Imagem: Reuters/Site El Mostrador