Russos tomam Chernobyl e aeroporto militar a 38 km de Kiev; há combates violentos em todo o território da Ucrânia; centenas de pessoas detidas na Rússia por se manifestarem contra a guerra; Sites do Parlamento Russo e do Kremlin alvo de ciber-ataque

24 de Fevereiro, 2022 0 Por A Voz de Esmoriz

Naquele que é o primeiro dia do conflito, os russos estão a avançar militarmente em várias frentes. Neste momento, a frente norte, alimentada a partir da Bielorrússia, está a alcançar progressos. Os russos já tomaram Chernobyl, onde aconteceu um terrível desastre nuclear (em 1986) e que se situa a poucos quilómetros da fronteira com a Bielorrússia. Também Kiev que fica a 150 km das fronteiras está já a ser um alvo preferencial dos bombardeamentos russos. As sirenes estão recorrentemente a fazer-se ouvir na capital ucraniana, registando-se sucessivas explosões.

O aeroporto de Hostomel (Antonov) e a central hidroelétrica de Kakhovka (já no Oblast de Kiev; localizados a 38 e 40 km respectivamente da capital) já estarão nas mãos dos russos. É provável que o ataque terrestre à capital da Ucrânia esteja por horas, ou quando muito, por dias.

Na zona sul da Ucrânia, ao lado do Mar Negro, há intensos combates na cidade portuária de Mariupol, onde decorre um bombardeamento intenso. No leste da Ucrânia, em Kharkiv, muitos habitantes refugiam-se nas estações de metro para se protegerem dos ataques aéreos.

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou que o exército já destruiu 83 alvos terrestres na Ucrânia e reivindica sucesso total no primeiro dia de operações.

Na Rússia, há também protestos contra a guerra. A polícia russa procedeu à detenção de mais de mil pessoas em 40 cidades que se manifestaram contra o conflito. Por outro lado, a bolsa russa encerrou com uma queda de 33,28% após a invasão da Ucrânia e o rublo, moeda russa, atingiu valores mínimos (de acordo com a CNN Portugal, superou-se a marca de quase 90 rublos por dólar e 101 rublos por euro).

Por outro lado, múltiplos sites governamentais russos terão sido alvo de um ciber-ataque e estão, neste momento, em off-line. Os sites do Kremlin e do Parlamento Russo (Duma) não foram poupados.

Joe Biden revela que os EUA e os aliados do G7 concordaram “em avançar com um pacote devastador de sanções e outras medidas económicas para responsabilizar a Rússia” pelo ataque à Ucrânia. Bancos e oligarcas russos não escapam a um pacote de sanções maciças, nem a própria economia russa que ficará praticamente sem acesso ao financiamento do Ocidente.

António Guterres, Secretário-Geral da ONU, assegura que as Nações Unidas intensificaram as operações humanitárias na Ucrânia, durante as últimas horas.

Créditos da Imagem: Hanna Liubakova (Legenda – Ataque na Zona de Chernobyl)