Sete razões que tornam o Carnaval de Ovar único

29 de Janeiro, 2024 0 Por A Voz de Esmoriz

Até 13 de fevereiro são dezenas as razões para aderir à “Vitamina da Alegria” do Carnaval de Ovar, um dos mais emblemáticos do país e que todos os anos atrai milhares de pessoas ao concelho. De ano para ano, a iniciativa tem sabido inovar e surpreender, mas o maior segredo para o sucesso é a identidade deste Carnaval que tem conseguido preservar as suas tradições que só aqui são vividas assim. O Carnaval está no sangue de cada vareiro e essa paixão sublime sente-se nas ruas e faz a festa especial. O Carnaval de Ovar é único e damos-lhe 7 razões irrefutáveis para poder afirmar: Não há Carnaval igual ao de Ovar!

  1. Noite Dominó – 8 de fevereiro

A Noite Dominó convida os foliões a vestirem-se a rigor e a recuperar a emblemática túnica Dominó. Esta tradição, inspirada numa personagem da commedia dell’arte nasceu em Veneza e, rapidamente, chegou a Ovar acompanhando os primórdios do Carnaval no concelho. Capuz, mangas, luvas e a tradicional máscara do Carnaval. Todos com a mesma fantasia, escondem-se as diferenças e brinda-se à igualdade e à liberdade.  Para garantir que ninguém descobre quem está por baixo da máscara, os entrudos optam por uma voz estridente e, manda a tradição, trazem consigo uma colher de pau para evitar qualquer aproximação indevida. Já sabe, dia 8 de fevereiro, é hora de tirar a tradição do armário e vestir o seu dominó!

  1. Noite da Farrapada – 9 de fevereiro

A Noite da Farrapada surgiu em 2016, numa iniciativa da Câmara Municipal de Ovar, mas, rapidamente, alcançou o estatuto de uma das marcas do Carnaval de Ovar, conquistando, de imediato, laços de afetividade com os vareiros, mas também com os forasteiros. Este ano marcada para o dia 9 de fevereiro, a Noite da Farrapada é um desfile inusitado e espontâneo, em que todos podem participar e viver intensamente as emoções carnavalescas. Basta escolher o disfarce e sair à rua. Em grupo ou sozinho, todos são desafiados a chamar a sua criatividade e vestirem a máscara que quiserem. O resultado é uma noite repleta de alegria e animação em que se multiplicam as brincadeiras e os festejos. Prova que o Carnaval é mesmo para todos!

  1. Cabeçudos e Gigantones

A presença de Cabeçudos e Gigantones no Carnaval é uma das tradições vareiras por excelência e tem conseguido ganhar novo fulgor. Em 2015, a Câmara Municipal de Ovar recuperou 10 antigos gigantones e este ano vai recuperar mais seis. Recentemente, nasceram, ainda, mais 20 cabeçudos, fruto de uma oficina promovida pela autarquia no final de 2023. Estes trabalhos, que desfilaram pela primeira vez na abertura do Carnaval de Ovar 2024, estão patentes na Escola de Artes e Ofícios, até ao dia 12 de fevereiro e a visita à exposição é gratuita.

Os cabeçudos e gigantones são, agora, frequência assídua nos vários desfiles previstos. Na abertura do Carnaval de Ovar foram, inclusive, os grandes protagonistas. Figuras do imaginário coletivo do concelho, é impossível ficar indiferente a esta figuras disformes, personagens diversas, que dançam de forma desarticulada, mas com um ritmo inigualável. Cada gigantone pode ter cerca de 4 metros e 30 quilos, portanto, é fácil perceber que o equilíbrio exige grande destreza e movimentos fascinantes.

  1. Chegada do Rei

Com a chegada do Rei, Ovar transforma-se oficialmente no “Reino da Folia”. Esta que é uma das tradições mais genuínas do concelho, e decorreu no passado domingo, 28 de janeiro, no centro da cidade.

Depois de um desfile pelas ruas da cidade em que o sentido de humor e a sátira são rei e rainha, todos se concentram nos Paços do Concelho. O Presidente da Câmara Municipal entrega, simbolicamente, a chave de ouro da autarquia e entroniza os novos reis que fazem o seu primeiro discurso aos súbditos. Segue-se o concurso de piadas coletivas em que os vários grupos trazem, em verso, as suas reivindicações, críticas e lamentações, já que, como diz o ditado, “no Carnaval ninguém leva a mal”.

Os Reis do Carnaval de Ovar são sempre escolhidos entre os vareiros que se destacam pelo seu trabalho em prol da comunidade. Depois de tomar posse, vão ter uma agenda real muito preenchida. Para além de participarem nos eventos oficiais, terão, também, uma agenda própria, com a missão de levar a alegria a todo o concelho.

  1. Aldeia do Carnaval

É o coração do Carnaval de Ovar. Na aldeia estão sediadas as 24 associações carnavalescas que juntam equipas para preparar cada pormenor do Carnaval e há muito que já preparam o grande desfile, em segredo absoluto. A Aldeia tem uma vida própria e representa a expressão daquilo que é a alma do Carnaval de Ovar. É aqui que fervilham as melhores ideias e que, dos figurinos aos carros alegóricos, aos ensaios de música, dança e teatro de rua, tudo nasce e se transforma.

Os bastidores do Carnaval estão de portas abertas para todos os que queiram visitar e, quem sabe, dar uma mãozinha. É verdade. A Câmara Municipal de Ovar está a promover visitas guiadas e encenadas que, para além de contarem a história do Carnaval, dão a conhecer as associações e os seus protagonistas, sempre com uma boa dose de humor à mistura. Com várias datas programadas, ALEG(O)RIA – Uma leitura do Carnaval de (O)var é o convite para todos os que gostam de mergulhar nas tradições carnavalescas. Para apontar na agenda, há, ainda, um conjunto de oficinas criativas, promovidas pelas associações carnavalescas, em que os participantes podem aprender a criar vários acessórios carnavalescos. As visitas e oficinas são gratuitas, mas requerem inscrição prévia.

  1. Grandes Corsos Carnavalescos

Com mais de 2 mil participantes, os Grandes Corsos Carnavalescos contam com 20 Grupos – Carnavalesco e Passerele – e quatro Escolas de Samba, num cortejo que integra 24 carros alegóricos. Este espetáculo excecional sai às ruas no domingo e terça-feira de Carnaval, dias 11 e 13 de fevereiro, e é dos momentos mais aguardados das festividades. Desde os carros alegóricos aos figurinos, passando pelas coreografias, as brincadeiras e a interatividade dos grupos com o público, cada atuação é preparada ao pormenor.

  1. Comunidade

É uma das suas maiores forças. De facto, o Carnaval está no sangue de cada vareiro, que sai às ruas para celebrar. É a festa do povo e não se fazia sem a sua sempre fantástica adesão. São mais de 2 mil os que integram as associações carnavalescas e protagonizam os desfiles, depois de meses de trabalho, mas são também as crianças e famílias, os seniores e os muitos foliões que se vestem a rigor e participam nos desfiles espontâneos e fazem questão de cumprir as tradições ao milímetro, prova que esta iniciativa é transversal a todas as idades e à generalidade dos ovarenses.  Na verdade, o Carnaval é, em Ovar, um modo de vida. Em cada rua, há máscaras penduradas nas varandas. Trazem cor, alegria e o sentimento de pertença que faz do Carnaval de Ovar a maior e mais sentida manifestação da comunidade vareira.