Sporting Clube de Esmoriz conquista Taça Matateu

17 de Setembro, 2022 0 Por A Voz de Esmoriz

Naquela que foi a primeira edição da Taça Matateu, o Sporting Clube de Esmoriz recebeu e venceu o Grupo Desportivo da Ronda por 2-1. A partida foi pródiga em oportunidades, sobretudo na primeira parte, em que ambas as equipas tentaram fazer a diferença. Na segunda parte, a qualidade em campo diminuiu consideravelmente com vários passes falhados e sem grande visão dos construtores de jogo, embora certamente com mais garra e agressividade à mistura, o que obrigou o árbitro a uma intervenção mais recorrente.

O Sporting Clube de Esmoriz, orientado pelo técnico Pedro Alves, apresentou uma formação jovem e dinâmica, mas enfrentou um Grupo Desportivo da Ronda que, no ano anterior, alcançou o terceiro lugar na 2ª Divisão Distrital de Aveiro (equivalente à terceira divisão distrital). Por isso, era o teste ideal entre equipas que vão procurar os lugares cimeiros da Série Norte, sonhando terminar numa das duas primeiras posições que dão acesso à promoção ao Campeonato SABSEG, embora CD Paços de Brandão, AC Cucujães, Lusitânia B e JD Carregosense possam entrar na luta.

Nos primeiros 45 minutos, o perigo rondou ambas as balizas, com cruzamentos perigosos e remates que visaram as balizas. A produtividade trouxe dois golos, um para cada lado. Aos 37 minutos, e após uma grande jogada individual, o avançado do SC Esmoriz, Gabi (ex-ARC Oleiros), consegue arrancar perto da grande área, conseguindo fintar dois ou três adversários, e rematar cruzado, sem dar quaisquer hipóteses ao guardião do GD Ronda. Uma jogada verdadeiramente magistral e recheada de classe! No entanto, a equipa do concelho de Espinho reagiu prontamente, e aos 41 minutos, Juca empata, após ter sido servido por um cabeceamento de um outro atacante do GD Ronda à entrada da área, tendo ficado diante da baliza adversária e rematado com força, sem hipóteses, para o guarda-redes esmorizense. Estava reposta a igualdade.

No segundo tempo, o equilíbrio permaneceu, mas desta feita, a partida tornou-se inconsequente e bastante aguerrida, tirando uma grande oportunidade para cada lado. Logo no reatar, e após um excelente cruzamento para a área, um atacante do Sporting Clube de Esmoriz falha a emenda que teria sido determinante. No entanto, também o GD Ronda ameaçou colocar-se em vantagem, num lance em que um dos seus atacantes se isolou e que se queixou de ter sido derrubado pelo guardião do SC Esmoriz visto que não concretizou a jogada. O lance era polémico e de difícil decisão, mas o árbitro decidiu não sancionar, julgando que o contacto não terá sido suficiente para provocar o desequilíbrio do atleta.

Quando todos já esperavam que o troféu seria decidido no desempate pelas grandes penalidades, o Sporting Clube de Esmoriz conseguiu o golo decisivo, aos 84 minutos, após uma jogada de insistência com vários remates bloqueados, contudo Ruben Martins desferiu um remate determinado por entre o amuralhado de jogadores, surpreendendo o guardião rondense e provocando o delírio num Estádio da Barrinha que contava com meia-casa. Estava feito o 2-1. Cerca de dez minutos depois, a partida terminava.

No final, houve festa. A Taça Matateu foi entregue por um sócio que foi convidado para representar António da Graça Rodrigues (nascido em Ovar em 1944 e ainda vivo, apesar de debilitado em termos de saúde; ficou conhecido com a alcunha de “Matateu” evidenciou-se na década de 1970, sendo um dos melhores defesas centrais da história do clube e tendo chegado a servir como capitão durante mais de uma década) e por Aníbal Ferreira, vice-presidente da direcção do Sporting Clube de Esmoriz, à equipa vencedora da primeira edição do troféu.

Refira-se que foi ainda sorteada uma bicicleta que seria oferecida por Aníbal Ferreira e entregue a Clara Silva, no decurso do intervalo da partida.

Antes da partida, o Sporting Clube de Esmoriz apresentou individualmente cada elemento do plantel e equipa técnica para a temporada de 2022/2023. O objectivo passa por realizar uma temporada tranquila e praticar um bom futebol, e se possível, voltar a sonhar com um dos lugares cimeiros.