JOSAFER volta a ser referência de topo pelo legado da Tanoaria

13 de Junho, 2024 0 Por A Voz de Esmoriz

O Jornal Público dedicou hoje uma reportagem especial ao legado da Tanoaria JOSAFER, uma das últimas tanoarias portuguesas que resiste, com brio e inovação, aos tempos actuais.

Sandra Fernandes e Filipe Octávio são os actuais líderes da terceira geração da Tanoaria JOSAFER, a qual está aberta a visitas guiadas desde 2015 e que vai acolher, entre sexta-feira e sábado, a 8.ª edição do Festival de Artes Performativas Contemporâneas de Esmoriz 2024, o célebre Tan Tan Tann, uma iniciativa programada pelo Imaginar do Gigante.

A empresa foi fundada pelo avô de Sandra e Filipe em 1962 e até começou por ser uma garagem, mas a evolução permitiu o crescimento. Ao contrário de muitas outras da mesma natureza, esta tanoaria esmorizense soube readaptar-se aos novos tempos, reinventando-se e dando passos ao nível da sua exportação para mercados estrangeiros, onde os barris são necessários para armazenar os vinhos e outros produtos líquidos, sem esquecer a vertente da decoração – esta última, permitiu mesmo o desenvolvimento da tanoaria com um mercado, por exemplo, forte na Grã-Bretanha. A tanoaria também trabalha com casas de vinho do Porto, Madeira, Moscatel e Carcavelos, reivindicando também a sua tradição em Portugal,

Sandra recordou o ofício duro dos tanoeiros (embora a mecanização tenha amenizado parcialmente os seus esforços árduos), sem esquecer o passado mais profícuo, em que chegaram a coexistir mais de 40 tanoarias no concelho de Ovar. No entanto, a evolução dos tempos (a modernização, as novas tendências e o desinteresse das pessoas em aprenderem esta arte) viria a sacrificar quase todas elas.

Como objectivos futuros, a Tanoaria JOSAFER planeia crescer e instalar-se em Gondesende, estando prevista a inauguração do novo espaço em 2025. Sandra Fernandes lamenta que existam poucas pessoas que queiram assimilar esta arte, argumentando que deveria existir um curso de carpintaria no Norte).

Esmoriz é considerado por muitos como a capital da Tanoaria em Portugal.

Por ler toda a reportagem AQUI – a mesma é da autoria de Ana Pereira (texto) e Nélson Garrido (fotografia)