Trilobites gigantes de Canelas reconhecidas entre os primeiros cem geossítios do mundo pela União Internacional das Ciências Geológicas

28 de Outubro, 2022 0 Por A Voz de Esmoriz

A União Internacional das Ciências Geológicas (IUGS) reconheceu as Trilobites Gigantes do Ordovícico Médio da pedreira de Canelas entre os primeiros cem geossítios com elevada relevância mundial. A certificação será entregue numa cerimónia organizada pelo Geoparque da Costa Basca Geoparque Mundial da UNESCO, em Zumaia, Espanha, no próximo dia 27 de outubro.

Parte integrante do Arouca Geoparque Mundial da UNESCO, as trilobites gigantes de Canelas – formadas no antigo mar austral há cerca de 465 milhões de anos – apresentam relevância para a comunidade científica não só pela sua dimensão como pelo seu estado de preservação, uma vez que as condições ambientais de então favoreceram a conservação de mudas de carapaça junto a cadáveres completos de algumas espécies trilobites. Podem ser visitadas no Museu das Trilobites, localizado próximo à jazida fossilífera popularmente conhecida como a “Pedreira do Valério”, de onde foram extraídas as ardósias.

“Uma vez mais, o território do Arouca Geoparque Mundial da UNESCO volta a ser reconhecido ao mais alto nível pela comunidade científica. Desta vez, são as trilobites gigantes de Canelas, que em boa hora o Manuel Valério teve a sensibilidade de preservar, a elevar o nome de Arouca e a fazer prova de que a constante aposta deste território na promoção do seu património geológico segue no caminho certo”, afirma Margarida Belém, presidente da Câmara Municipal de Arouca e da direção da AGA – Associação Geoparque Arouca.

A IUGS é umas das maiores organizações científicas mundiais com 121 membros nacionais em representação de mais de um milhão de geocientistas. Com a apresentação dos primeiros “100 Geossítios do Mundo” por si reconhecidos, a instituição dá início a um esforço para designar geossítios icónicos e reconhecidos por toda a comunidade geológica pelo seu impacto na compreensão da Terra e da sua história.

O reconhecimento dos geossítios é fruto da decisão de mais de 33 especialistas internacionais que analisaram os 181 pontos de interesse geológico propostos em representação de 56 países. A lista dos geossítios reconhecidos pela IUGS inclui, além das trilobites gigantes de Canelas, algumas das rochas mais antigas da Terra (África do Sul); evidências do desenvolvimento dos primeiros hominídeos (Tanzânia); a Caldeira de Santorini (Grécia) ou o emblemático Grand Canyon (Estados Unidos da América). Está disponível para consulta em https://iugs-geoheritage.org

Em Portugal, a par com o geossítio do Arouca Geoparque Mundial da UNESCO, foram ainda reconhecidos o Vulcão dos Capelinhos, na Ilha do Faial (Açores Geoparque Mundial da UNESCO) e a Discordância da Ponta do Telheiro, em Vila do Bispo (Algarve).

Créditos da Imagem: Avelino Vieira